SOBRE

Sobre mim



Quando eu era criança, todos adoravam meus cachinhos, eram loirinhos e muito bem cuidados pela minha mãe. Mas eu não gostava, me sentia diferente das outras crianças de cabelo liso. Odiava o fato de toda vez que fosse sair tivesse que fazer todo um ritual para arrumar o cabelo, enquanto minhas amiguinhas pareciam estar sempre prontas. 
Na TV as garotas mais bonitas tinham o cabelo liso, nas revistas as modelos eram altas, magras e com os cabelos lisos. Foi aí que descobri o que eram os padrões de beleza e como eu queria me encaixar neles, mesmo sendo baixinha e com os cabelos enrolados. 
Aos 15 anos, veio os relaxamentos, uma tentativa de se livrar do cabelo armado e ter os cachos mais "soltos", era moda na época. 
Aos 17/18 anos, veio a progressiva e finalmente o liso. 
Aos 19 anos, veio o cabelo quebradiço, sem vida, a falta de identidade, a intoxicação com o cheiro das químicas. 
Aos 20 anos, veio a transição capilar, a aceitação de quem sou, o amor por cada cachinho que está nascendo, a auto estima e a vontade de motivar mais meninas e mulheres que como eu, esqueceram quem eram correndo sempre atrás de se encaixar nos padrões da sociedade. 

Share
Tweet
Pin
Share